Início Últimas Notícias Lançamentos Sad Theory grava participação no documentário Curitiba in Peso

Sad Theory grava participação no documentário Curitiba in Peso

105

A banda de death metal Sad Theory está concluindo as gravações de seu sétimo disco de estúdio, Léxico Reflexivo Umbral, que será lançado este ano.

O primeiro single do trabalho foi “Canis Metallicus”, que obteve ótimo retorno do público, e levou a banda a participar de diversos festivais online.

O grupo curitibano atualmente prepara o lançamento de um segundo single e lyric video, da inédita “Ministrando a Pena”.

Outra novidade recente do Sad Theory foi a gravação do depoimento do vocalista Claudio “Guga” Rovel no documentário Curitiba in Peso – A História do Metal Coré-Etuba.

O filme está sendo registrado com integrantes de algumas das principais bandas do cenário da música pesada na capital paranaense, e o Sad Theory foi convidado para participar, sendo representado por Guga, integrante da formação original. O documentário ainda não tem data definida de lançamento, mas é aguardado com grande expectativa pelo público.

Canis Metallicus

O primeiro single de Léxico Reflexivo Umbral a ser divulgado foi “Canis Metallicus”, inspirado no episódio “Metalhead”, da renomada série da Netflix, Black Mirror.

O lançamento marcou a despedida do antigo logotipo do grupo. O Sad Theory utilizará um novo logotipo, após mais de duas décadas, criado pelo artista belga Christophe Szpajdel, responsável por trabalhos com bandas de death e black metal como Emperor, Old Man’s Child, Enthroned, Borknagar, Moonspell e Arcturus.

Sad Theory – “Canis Metallicus”

O baixista do grupo, Daniel Franco, comenta a temática lírica do vindouro álbum, que expande o assunto do single:

“A interatividade humana atingiu níveis outrora inimagináveis, mas para isso precisou utilizar os avanços tecnológicos como interface, de forma integral, inexorável e irreversível. Tudo o que restou da nossa humanidade é convertido em bits e transmitido por ondas que, eventualmente, chegarão a diversos destinos. Tais avanços, dos quais somos plenamente dependentes, caminhariam em qual direção, num mundo onde a humanidade morreu? A série britânica Black Mirror, em muitos de seus episódios, mostra a inumanidade, por meio da tecnologia, atingindo diversos paroxismos, de diferentes formas. Tais temas são uma matéria-prima valiosíssima para a negatividade da música extrema, e para o Sad Theory em particular. Assim, utilizamo-nos deles como ponto de partida para as letras”, explica.