Início Últimas Notícias Internacionais Lauren Jauregui estreia seu projeto solo, ‘Prelude’

Lauren Jauregui estreia seu projeto solo, ‘Prelude’

93

Um novo capítulo para a artista e compositora Lauren Jauregui com o lançamento de seu projeto solo de estreia, PRELUDE – lançado agora por seu próprio selo, Attunement Records, sob licença exclusiva da AWAL Recordings.

Escrita por Lauren, a coleção apresenta algumas de suas músicas mais pessoais já lançadas.

“Este é meu filho”, Lauren observa, falando abertamente sobre seu projeto. “Estou mudando continuamente. Essas músicas significam muito para mim e falam a uma parte muito real de mim mesma na qual tenho trabalhado. Elas se sentem bem. Eu sentei com elas. Estou confortável com elas. Eu fiz algumas participações, mas tenho peneirado diferentes sons e trabalhado para desaprender o que meu coração foi treinado para ouvir no passado. Eu descobri o que sonoramente queria dizer. Foi um belo processo entender que tenho minha própria voz como artista. Em 2021, Lauren é uma mulher totalmente nova.”

Lauren Jauregui – ‘Prelude’

A faixa principal do projeto, “On Guard”, com 6lack, mostra Lauren travando uma discussão com o rapper. “Estou afirmando meu poder e falando sobre ter limites ao redor do meu coração”, ela revela.

Assista abaixo:

No início deste mês, Lauren apresentou PRELUDE com “Colors”, uma faixa escrita por Lauren e produzida por Johnny Rain, apresentando piano e cordas, que destacam sua entrega emocionalmente carregada, harmonias e palavras faladas evocativas.

Elogiada pela Billboard como “um autoexame penetrante”, “contemplativa e emocionalmente carregada”, a música foi lançada com séries de elogios da crítica, incluindo a PAPER, que elogiou a faixa como “uma introdução fervente e meditativa, queima lentamente até explodir”, com a V Magazine concluindo “tem substância suficiente para te derrubar com apenas uma audição”.

Sobre a música, Lauren revela: “Quando você pinta uma parede, você tem que pintar sobre o que está por baixo. Estou tentando me convencer de que sou alguém que não sou”, explica ela. “A música é uma conversa literal. Quando todos se foram, somos só você e eu. Você pode pintar na parede, mas não pode apagar todos eles. Estou me deixando saber que não importa o que esteja acontecendo, preciso estar bem comigo mesma. Você não pode fugir de si mesmo, porque todas as suas camadas ainda estarão lá. Você precisa aprender a vê-las e aceitá-las.”

Artigo anteriorConheça os membros do (G)I-dle!
Próximo artigoLuciane Dom reverbera o afeto em novo single “Pode Ser Às Dez”
Olá! Meu nome é Beatriz Chiessi e sou formada em Gestão Empresarial. Fã da Aggretsuko, apaixonada pelos filmes do Studio Ghibli, Simmer assumida e astronauta do Astroneer.