Início Últimas Notícias Internacionais ‘68 anunciam terceiro álbum Give One Take One

‘68 anunciam terceiro álbum Give One Take One

169
68 Crédito da Foto: Bobby Bates

O grande duo de Atlanta ‘68 anunciam seu muito aguardado terceiro álbum Give One Take One, disponível dia 26 de Março via Cooking Vinyl. Para comemorar a ocasião especial, a banda disponibiliza o principal single “The Knife, The Knife, The Knife” ao lado de um videoclipe criado pelo vocalista e guitarrista Josh Scogin (The Chariot, Norma Jean).

Completo pelo baterista Nikko Yamada, o duo explode com sua assinatura em inspirações blues, criando um de seus sons mais marcantes até agora, com toques de alternative rock, oferecendo momentos de alívio antes de mergulhar no refrão distinto e pesado.

Produzido pelo vencedor do Grammy Nick Raskulinecz (Foo Fighters, Rush, Alice In Chains), que acreditou na dupla depois de apenas algumas músicas de um set ao vivo de ‘68, Give One Take One oferece o melhor das composições estridentes e dinâmicas da banda, cheia de personalidade e um groove indomável.

“The Knife, The Knife, The Knife” – ‘68

O álbum segue o EP de 2020, Love Is Ain’t Dead, que também foi gravado com Raskulinecz quando os planos de viajar em turnê com Korn e Faith No More foram interrompidos por causa da pandemia. Give One Take One está disponível para pré order aqui e “The Knife, The Knife, The Knife”.

Ao falar sobre o anúncio, Josh Scogin diz:

“De todas as músicas que eu já criei ao longo dos anos, esse álbum está com alguns dos meus momentos favoritos, musicalmente, poeticamente e até mentalmente; eu passeio por partes que são ao mesmo tempo terapêuticas de tirar do meu peito, e assustadoras de compartilhar como mundo. Eu acredito que você pode sentir a alegria tangível que a música dá a cada um de nós neste álbum; Nick capturou a natureza explosiva e implosiva que mantém ‘68 avançando. Você consegue ouvir a paixão e sinceridade que Nick, Nikko e eu temos pela arte de criar sons. Eu estou muito orgulhoso desse álbum e honrado pela jornada que foi para chegarmos aqui. E para ser honesto, a maioria dos meus pensamentos circulam em volta da esperança que um dia vamos voltar a tocar essas músicas ao vivo logo.”